domingo, 30 de maio de 2010

Sex, Lies and Videotape



FILME SEXO MENTIRAS E VIDEOTAPES

Steven Soderbergh tinha somente 26 anos quando fez este filme, curiosamente os atores foram brilhantes. Andie Macdowell na época era uma atriz de comédias românticas, Laura San Giacomo, Peter Gallager e James Spader apenas iniciavam no cinema. Entretanto todas as atuações foram primorosas. O filme é simples não tem nada de extremamente grandioso na medida em que trata de relações conjugais, as neuroses de cada um de seus personagens e dos efeitos deste conjunto.
“..Que seja infinito enquanto dure”, esta frase é de nosso poeta Vinicius de Morais.
Acredito na família e no casamento e penso que do casamento que deu certo restam muitas memórias e uma grande amizade.

Ann está casada a pouco tempo e aparentemente satisfeita com seu cotidiano repetitivo.
O marido de Ann esta insatisfeito no seu dia a dia e compensa suas frustrações tendo um caso extraconjugal com a irmã de sua mulher. A irmã de Ann ( Cintya), sente enorme inveja de Ann porque considera sua irmã mais bela ( realmente), muito mais interessante e bem realizada. Graham um amigo dos tempos colegiais de John, viveu algum trauma, saiu da cidade e está retornando para entender o que realmente aconteceu com ele.
Graham tornou-se impotente por pura neurose e se satisfaz sexualmente quando está solitário, para tanto necessita do estímulo visual das mulheres que ele entrevista. Estas mulheres falam de suas experiências sexuais sejam quais forem.
Penso que não vale contar o filme em si, mas sim entender o que acontece. O que vemos então?
Uma jovem esposa fingindo ser feliz, uma irmã invejosa e desvalorizada, um marido frustrado que se satisfaz sexualmente com a irmã pseudo liberada e o visitante que interfere em todas estas vidas. Ele chega e dessarruma a aparente felicidade que reside em tanta frustração.
Grahan funciona como divisor de águas, quem sabe como espelho? Fato é que ele faz com que as pessoas parem pra pensar. Daqueles videotapes que servem como objeto de mastrurbação, Ann faz criticas:"... O que vc fez de sua vida em tantos anos? Por quê se esconde atrás de uma câmera? O que vc espera que aconteça? O que pretende com isto, vai resolver suas questões afetivas ?..."
Ann, machucada por ter descoberto que vivia de aprências questiona o homem que mexe com seus sentidos.
O filme mexe com questões relacionadas ao amor, ao sentido da vida e à satisfação. O filme aparentemente simples traz a tona a questão do desejo, da afetividade e do prazer. Isto aparece da maneira mais simples possível. Este filme é sobre questionamentos. Acredito que o trabalho de Soderbergh funcione como espelho para cada um e para nós expectadores da trama.

Um comentário:

sex sadie disse...

eu adorei este filme, de ceta forma me identifiquei